terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Grécia - União - Médicos e farmacêuticos gregos em segundo dia de greve

Médicos e farmacêuticos gregos em segundo dia de greve
  
Imagen activaAtenas, 3 jan (Prensa Latina) Médicos e farmacêuticos gregos continuam hoje por segundo dia consecutivo uma greve em reclamo do pagamento da dívida milionária do Estado com as entidades que agrupam a profissionais de ambos os setores.

  A greve de 96 horas dos médicos e de 48 dos trabalhadores de farmácias iniciou-se ontem também para recusar os recortes e as políticas neoliberais nas que persiste o executivo de coalizão do premiê Lucas Papademos.

No caso dos médicos, a medida de força é seguida pelos profissionais do Instituto de Assistência Social, pelos independentes e os de centros sanitários. Só estes últimos prestam serviços limitados a casos de extrema emergência.

Por outro lado, a maioria das farmácias da Grécia permanecem fechadas pela falta de pagamento do Estado.

A Associação Nacional de Farmacêuticos nega-se a dispensar medicamentos até tanto o Governo não pague as dívidas.

O presidente dessa entidade, Thomas Arabatzoglou, declarou que o Ministro de Saúde decidiu reduzir ainda mais os rendimentos do setor em momento em que os entes estatais têm uma dívida de 400 milhões de euros com as farmácias.

Grécia trata de limitar suas despesas sociais com fortes ajustes aprovados sob pressão de seus credores, a União Européia e o Fundo Monetário Internacional, a mudança de ajudas financeiras, após que o país estivesse à beira da falência em 2010.

No orçamento grego para o presente ano, as despesas na saúde foram estimados em sete bilhão de euros, 3 600 milhões menos ao estipulado em 2009.

aab/rmh/por
    

Um comentário:

  1. http://www.prensa-latina.cu/index.php?option=com_content&task=view&id=464744&Itemid=1

    ResponderExcluir